montagem

E agora? Lembra-me (2013), de Joaquim Pinto

Fábio Monteiro analisa a forma de diário, os sentidos da montagem estilhaçada e as insinuações de uma comunidade afetiva que fazem do documentário de Joaquim Pinto uma intensa experiência cinematográfica.

E agora? Lembra-me (2013), de Joaquim Pinto

Anotações: Broken Tongue, de Mónica Savirón (2013)

Sobre Broken Tongue e o poema conceitual "Afrika", de Tracie Morris, em que o filme de Mónica Savirón encontra seu impulso.

Anotações: Broken Tongue, de Mónica Savirón (2013)

A potência de estranhamento de O Lobo de Wall Street

A potência crítica decorrente das figuras do excesso é o que confere a O Lobo de Wall Street (2013) sua contundência política.

A potência de estranhamento de O Lobo de Wall Street

O Lobo de Wall Street: as figuras do excesso e a tragédia sem fim

A prática do cinema do excesso, a que Martin Scorsese se dedica em O Lobo de Wall Street, confere ao filme riqueza estética e complexidade ética singulares, que comentam a tragédia sem fim em que nos encontramos.

O Lobo de Wall Street: as figuras do excesso e a tragédia sem fim

O jump cut segundo Comolli

O que está em jogo na prática generalizada do jump cut, segundo Jean-Louis Comolli? Uma discussão sobre montagem, realidade e política no cinema contemporâneo.

O jump cut segundo Comolli

O Grande Roubo do Trem: narrativa e montagem

É principalmente pelo lugar que ocupa no processo de narrativização do cinema que O Grande Roubo do Trem (1903), costuma ser lembrado. Mas como entender o lugar do filme de Edwin Stanton Porter?

O Grande Roubo do Trem: narrativa e montagem