Sometimes in April: a inscrição sensível do genocídio como crime contra a humanidade

Publicado como um capítulo do livro Criminologia e cinema, organizado por Bruno Amaral Machado, Cristina Zackeski e Evandro Piza Duarte, este texto (que foi apresentado parcialmente no VIII Seminário Nacional de Pesquisa em Arte e Cultura Visual, na UFG) propõe uma análise do filme Sometimes in April (2005), de Raoul Peck, buscando interpretar o modo como sua narrativa ficcional representa o genocídio de Ruanda, de 1994, inscrevendo a história de um crime contra a humanidade na vida sensível das imagens.

Referência para citação:

RIBEIRO, Marcelo Rodrigues Souza. Sometimes in April: a inscrição sensível do genocídio como crime contra a humanidade. In: Bruno Amaral Machado; Cristina Zackeski; Evandro Piza Duarte. (Org.). Criminologia e cinema: narrativas sobre a violência. São Paulo: Marcial Pons; Fundação Escola Superior do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, 2016, p. 335-359.

Sou professor de história e teoria do cinema da Faculdade de Comunicação da UFBA, em Salvador, desde maio de 2017. Criei o incinerrante em setembro de 2009, e desde então o site abriga alguns traços das minhas atividades como professor, pesquisador, crítico, curador e programador. Também criei, junto com a minha companheira, a Juliana (<3), um projeto chamado a quem interessar possa, que a gente começou em abril de 2016. Se quiser saber mais sobre mim, pode começar com a breve apresentação e os links que coloquei aqui.