Publicado nos Anais do XXVI Encontro Anual da Compós, realizado na Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo, de 6 a 9 de junho 2017, este artigo (que decorre de minhas atividades de pós-doutoramento, no Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística da Universidade Federal de Goiás, e foi apresentado ao Grupo de Trabalho Estudos de cinema, fotografia e audiovisual, coordenado por Ângela Prysthon e Fernando Gonçalves) propõe uma reconstituição dos debates sobre os conceitos de literatura mundial e de cinema mundial, reivindicando o atlas como forma, numa interpretação analítica do catálogo Lumière (baseada parcialmente em alguns textos anteriormente publicados no incinerrante), com o objetivo de contribuir para um programa mais amplo de pesquisa, a que tenho denominado atlas de cosmopoéticas.

Referência para citação:

RIBEIRO, Marcelo Rodrigues Souza. Para um atlas de cosmopoéticas: literatura mundial, cinema mundial e o catálogo Lumière como atlas. Anais do XXVI Encontro Anual da Compós, São Paulo: Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação, 2017, p. 1-20.

Leia em PDF

Sou professor de história e teoria do cinema da Faculdade de Comunicação da UFBA, em Salvador, desde maio de 2017. Criei o incinerrante em setembro de 2009, e desde então o site abriga alguns traços das minhas atividades como professor, pesquisador, crítico, curador e programador. Também criei, junto com a minha companheira, a Juliana (<3), um projeto chamado a quem interessar possa, que a gente começou em abril de 2016. Se quiser saber mais sobre mim, pode começar com a breve apresentação e os links que coloquei aqui.