Como ver obras de arte do Museu do Prado no Google Earth

Como ver obras de arte do Museu do Prado no Google Earth

Algumas obras-primas do Museu do Prado, que fica em Madri, na Espanha, estão disponíveis para visualização no Google Earth, com imagens de alta definição. O site do Museu do Prado dá acesso a reproduções de boa qualidade das mesmas obras, além de outras, mas a qualidade das imagens não é comparável à das reproduções disponíveis via Google Earth. Para acessá-las, basta seguir os seguintes passos, demonstrados no vídeo abaixo, em que passeio, rapidamente, pela obra Las Meninas (1656), de Diego Velázquez:

  1. Abra o Google Earth no seu computador
  2. Verifique se a opção de visualização de "Construções em 3D" está marcada.
  3. Busque "Museu do Prado" e selecione a primeira opção.
  4. Aproxime a visualização do prédio do Museu do Prado e clique no contorno azul que aparecerá em torno dele.
  5. Escolha a obra que gostaria de visualizar em alta resolução.
  6. Aproveite os recursos de ampliação e de navegação para descobrir as nuances da obra que escolheu na etapa anterior. Bom proveito!

O texto abaixo da galeria de obras, que está na imagem acima, pode ser traduzido dessa forma: "Apresentamos um passeio virtual por catorze obras-primas do Museu Nacional do Prado, exibidas em altíssima resolução, permitindo que você veja detalhes das pinturas que nunca foram vistos antes. Graças à alta resolução das imagens digitais, você pode visualizar a pintura inteira ou aproximar para ver um pequeno fragmento. Dada a diversidade de obras-primas abrigadas no Museu, escolher quais obras incluir não era tarefa fácil, mas essa seleção representa o melhor da coleção."

Estas são as obras disponíveis para visualização:

  • A Anunciação (ca. 1426), de Fra Angelico
  • A Deposição da Cruz (ca. 1435), de Roger van der Weyden
  • Autorretrato aos 26 (1498), de Albrecht Dürer
  • O Jardim das Delícias Terrenas (1500-1505), de Hieronymus Bosch
  • A Crucificação (1509-1518), de Juan de Flandes
  • Retrato de um Cardeal (ca. 1510), de Rafael Sanzio
  • Carlos V a cavalo em Mühlberg (1548), de Ticiano
  • Artemis (1634), de Rembrandt
  • As Três Graças (ca. 1635), de Peter Paul Rubens
  • O sonho de Jacob (1639), de José de Ribera
  • Las Meninas (1656), de Diego Velázquez
  • A Imaculada Concepção (1767-1769), de Giambattista Tiepolo
  • O três de maio de 1808 em Madri (1814), de Francisco de Goya
  • O cavaleiro com a mão no peito (ca. 1850), de El Greco

É interessante notar que a Wikipedia apresenta reproduções de parte dessas obras em altíssima resolução, em arquivos que alcançam, em alguns casos, mais de 200MB, cuja origem é a visualização do Google Earth.

Professor de história e teoria do cinema da Faculdade de Comunicação da UFBA, em Salvador. Nascido em São Paulo, de onde saiu aos 9 anos de idade, já morou em Brasília, em Florianópolis e em Montréal, além de Goiânia, onde vive atualmente. É pesquisador e crítico de cinema e cultura visual, programador e curador de mostras e festivais de cinema, doutor em Arte e Cultura Visual, com pesquisa sobre cinema e direitos humanos. É indeciso e nervoso, tenta ser leve e cuidadoso, consegue ser magro e comer muito.

Se você gostou do texto, compartilhe!