Imagem e direitos humanos [2017-2019]

Projeto de pesquisa apresentado à Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia, para desenvolvimento entre 2017 e 2019.

A imagem acima pertence a um dos filmes que será estudado, A imagem que falta [L'image manquante], de Rithy Panh (2013).

Se tiver dúvidas, questionamentos, comentários, críticas e sugestões, indicações de textos ou de filmes ou qualquer outra coisa, escreva nos comentários no final do post ou entre em contato. Obrigado!

Imagem e direitos humanos: consciência da humanidade, memórias de violações e projeções de dignidade no cinema e no audiovisual

Resumo:

Por meio de uma abordagem interdisciplinar das relações entre imagem e direitos humanos, este projeto visa ao estudo dos modos como o cinema e outros meios visuais, como a pintura e a fotografia, e audiovisuais, como a televisão e o vídeo, participam de um processo histórico e cultural mais amplo de construção da “consciência da humanidade”, que declara os direitos humanos, conforme o preâmbulo da Declaração Universal de 1948, contra os “atos bárbaros” que proliferam na história recente da humanidade. Pretende-se, em primeiro lugar, estabelecer uma perspectiva histórica de estudo das formas de representação e de abordagem de diferentes genocídios e crimes contra a humanidade no cinema e em outros meios e caracterizar as singularidades de diversos momentos e contextos de violação generalizada de direitos humanos e as modalidades de uso da imagem que acompanham, testemunham e transformam os sentidos desses momentos e contextos, constituindo a memória das violações. Espera-se, igualmente, tornar possível a identificação de tendências recorrentes de associação entre imagem e direitos humanos, assim como interrogar as noções de dignidade pressupostas por toda reivindicação de direitos universais e projetadas por qualquer forma de associação entre imagem e direitos humanos. Dessa forma, o problema que este projeto de pesquisa pretende investigar pode ser resumido com a seguinte pergunta: como o cinema e outros meios visuais e audiovisuais participam da construção da “consciência da humanidade”, por meio da elaboração de memórias de genocídios, crimes contra a humanidade e outras violações, de um lado, e de ideias e projeções de dignidade, do outro, durante a segunda metade do século XX e o início do século XXI?

Leia o projeto em PDF ou visualize-o abaixo.

Professor de história e teoria do cinema da Faculdade de Comunicação da UFBA, em Salvador. Nascido em São Paulo, de onde saiu aos 9 anos de idade, já morou em Goiânia, Brasília, Florianópolis e Montréal. É pesquisador e crítico de cinema e cultura visual, programador e curador de mostras e festivais de cinema, doutor em Arte e Cultura Visual, com pesquisa sobre cinema e direitos humanos. É indeciso e nervoso, tenta ser leve e cuidadoso, consegue ser magro e comer muito.

Se você gostou do texto, compartilhe!