A cosmopoética da fragilidade: Abderrahmane Sissako, a sensibilidade cosmopolita e a imaginação do comum

Referência para citação:

RIBEIRO, Marcelo Rodrigues Souza. A cosmopoética da fragilidade: Abderrahmane Sissako, a sensibilidade cosmopolita e a imaginação do comum. In: BAMBA, Mahomed; MELEIRO, Alessandra (orgs.). Filmes da África e da diáspora: objetos discursivos. Salvador: EDUFBA, 2012. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/16758.

No início de outubro de 2012, foi lançado o livro Filmes da África e da diáspora, organizado por Mahomed Bamba e Alessandra Meleiro, cuja importância para os estudos sobre cinema africano é notável. Você pode ler a apresentação dos organizadores aqui. Entre os capítulos, está uma contribuição de minha autoria, sobre o cinema de Abderrahmane Sissako (incluindo e aprofundando parcialmente as discussões que esbocei em "O cinema político africano e o direito de narrar").

Professor de história e teoria do cinema da Faculdade de Comunicação da UFBA, em Salvador. Nascido em São Paulo, de onde saiu aos 9 anos de idade, já morou em Goiânia, Brasília, Florianópolis e Montréal. É pesquisador e crítico de cinema e cultura visual, programador e curador de mostras e festivais de cinema, doutor em Arte e Cultura Visual, com pesquisa sobre cinema e direitos humanos. É indeciso e nervoso, tenta ser leve e cuidadoso, consegue ser magro e comer muito.

Se você gostou do texto, compartilhe!